Luzes e Tecnologia
Noesis nos Media
05 março 2021

O que mudou com o teletrabalho? Tecnológicas contam como estão a motivar equipas à distância


Ao longo dos últimos 11 meses a Noesis apostou num conjunto de estratégias para fortalecer a ligação dos seus talentos com a organização à distância, saiba mais na entrevista da Teresa Lopes Gândara, Human Capital Director da Noesis, à SapoTek.

Noesis nos Media
05 março 2021

Aulas de Yoga e Pilates, reforço para apoio à saúde mental e muita colaboração fazem parte do "novo normal" nas empresas. A pandemia obrigou a novas formas de trabalhar e de relacionamento e, embora motivar equipas à distancia não seja fácil, há quem consiga reinventar-se. Até com resultados melhores do que o esperado

O teletrabalho tornou-se no “novo normal” e se muitas tecnológicas já tinham estratégias definidas nesse sentido, o atual contexto não deixou de colocar desafios a diversos níveis, em particular na ligação entre equipas e nos “laços” com a própria empresa. Trabalhar à distância obrigou a assegurar a resposta a circunstâncias diferentes, mas, pelo menos entre as tecnológicas que o SAPO TEK entrevistou, não faltou capacidade criativa para encontrar alternativas e novas estratégias para motivar os colaboradores.
 
Desde a disponibilização de cadeiras ergonómicas, o reforço de plafonds de internet, a organização de “tea time’s” virtuais com o CEO ou de encontros com personalidades públicas, a realização de workshops de alimentação saudável e aulas de yoga, total condicionamento e pilates, passando pela criação de canais para partilha de dicas sobre vários em temas, as ideias para cuidar da saúde física e mental e reforçar a comunicação e relacionamentos, entre e de todos, abundaram. Levaram, inclusive, à descoberta de talentos escondidos.
 
Até agora o sentimento generalizado entre as tecnológicas que o SAPO TEK ouviu é de balanço positivo e de haver uma melhor preparação para encarar o futuro. Neste momento, a maior parte das empresas entrevistadas tem a totalidade ou a quase totalidade dos seus colaboradores em trabalho remoto, e assim permanecerá até que estejam salvaguardadas todas as condições de segurança. Houve mesmo quem neste período de quase um ano nunca tivesse regressado ao escritório. E as "ferramentas de apoio" a este confinamento são variadas.
 
Nos casos em que há pessoas em regime presencial as percentagens são muito baixas e dizem sempre respeito a funções que não são passíveis de serem executadas à distância ou que implicam serviços críticos de continuidade, sempre desempenhadas com todos os cuidados e procedimentos de segurança focados na saúde, física e mental, das pessoas, asseguram as tecnológicas com quem falámos.

Motivação à distância a quanto obrigas
 
O atual contexto trouxe novos desafios a diversos níveis para as empresas, em particular na ligação entre equipas e com a própria empresa, com a passagem de uma realidade em que havia equipas juntas diariamente, para uma em que as equipas trabalham e convivem digitalmente. A distância obrigou as empresas a serem criativas, considera a Noesis, que indica ter apostado também num conjunto de estratégias para fortalecer a ligação dos seus talentos com a organização, para “assegurar o acompanhamento contínuo com o apoio das chefias e promover a segurança no teletrabalho”, como pontos fulcrais da comunicação e interação com os colaboradores, diz Teresa Lopes Gândara, Human Capital Director.
 
Foi criada uma newsletter específica para estes períodos de maior isolamento, a #StayConnected, e lançados workshops online, apresentados pelos colaboradores, que, “desde o primeiro momento”, se mostraram disponíveis para partilhar algumas das atividades que realizam depois do trabalho.
 
“Descobrimos vários talentos escondidos e que pudemos partilhar com todos: verdadeiros especialistas em fotografia, cozinha saudável, dança, desporto e muito mais”, Teresa Lopes Gândara, Noesis
 
Foi igualmente criado um espaço para fóruns online, onde os colaboradores têm a possibilidade de discutir temas de várias áreas, desde gestão de equipas, o que esperar do pós-pandemia, como gerir teletrabalho e vida pessoal e como tirar o melhor partido das funcionalidades do Teams. A empresa optou igualmente por continuar a dinamizar o programa de formação de talentos, a Noesis Academy, contribuindo para a sua realização profissional e pessoal. “Estas ações têm como principal objetivo ajudar os nossos talentos a ultrapassarem esta fase de confinamento de uma forma mais saudável mental e fisicamente”.
 
Contam também com várias ferramentas que permitem auscultar as necessidades e preocupações dos colaboradores, que nos permitem adequar as nossas ações. O objetivo é claro: “manter a cultura que vivemos na Noesis e fomentar o contacto entre colaboradores de equipas distintas. Tem sido bastante recompensador e achamos que tem sido uma peça fundamental ao longo destes últimos 11 meses”.
 
 
Artigo publicado em SapoTek

Eduardo Vilaça