Luzes e Tecnologia
Noesis nos Media
19 agosto 2020

Conseguimos cobrir praticamente todas as necessidades de uma organização, in Ntech.news


Noesis nos Media
19 agosto 2020

Nova área de negócio

A Noesis anunciou a criação de uma nova área de negócio de Enterprise Application Integration, na qual a tecnologia da TIBCO Software é um catalisador importante. Em prol de empresas mais eficientes e ágeis, a Noesis utilizará as soluções TIBCO para permitir a ligação a uma variedade de endpoints e a exploração de diferentes padrões de integração, potenciando a implementação de aplicações na cloud, on-premise ou em dispositivos IoT. Nelson Pereira, CTO da Noesis, explica ao Ntech.news os objectivos estratégico que guiam esta nova área e, cuja taxa de crescimento anual rondará os 16,32% em 5 anos.

Ntech.news – A que contexto de necessidades/solicitações do mercado nacional vem responder esta nova área de negócio?

Nelson Pereira – A nova área de Enterprise Aplication Integration (EAI) foi criada na Noesis por dois motivos principais: o mercado, por um lado, que é sempre o principal driver de todas as decisões estratégicas que tomamos. Procuramos responder às necessidades do mercado e dos nossos clientes e entendemos, na análise que fizemos, que podíamos acrescentar valor nesta área, alicerçados na ampla base de clientes que temos – onde identificámos esta necessidade – e na parceria que estabelecemos com a TIBCO, que é um dos principais players a nível mundial nesta área. Por outro lado, o segundo critério está relacionado com o posicionamento da Noesis no mercado. Esta área de integração/middleware vem permitir complementar a nossa oferta que, hoje em dia, já cobre distintas áreas no IT, que vão desde as Infraestruturas, Desenvolvimento Aplicacional, passando Qualidade e Pessoas. A integração desta componente de Middleware permite-nos “completar” o ciclo e, verdadeiramente, apresentar ao mercado e aos clientes uma oferta transversal e end-to-end. Com a incorporação da área de EAI conseguimos cobrir praticamente todas as necessidades de uma organização, em termos de tecnologia. Temos expertise, equipas especializadas e parceiros tecnológicos sólidos e de referência, são já 9 as nossas áreas de negócio e posso afirmar com segurança que serão poucos os players no mercado com uma oferta tão transversal e tão completa.

«Hoje em dia, os desafios gerados pela adopção exponencial das plataformas cloud são um dos principais drivers para o mercado de EAI.»

Credibilidade e diferenciação

Quanto vale este mercado atualmente?

N.P. – Este é um mercado que globalmente foi avaliado em cerca de 6,5 mil milhões de dólares em 2019 e cujas previsões apontam para um valor potencial de 16,2 mil milhões em 2025, o que significa um CAGR (taxa de crescimento anual) de mercado de 16,32% em cinco anos. Creio que estes números são bastante elucidativos da pertinência desta área e do potencial da mesma. Hoje em dia, os desafios gerados pela adopção exponencial das plataformas cloud são um dos principais drivers para o mercado de EAI. Esta adoção permite uma integração cada vez maior entre várias aplicações, diferentes sistemas e, igualmente, gerir e otimizar custos, entre outros benefícios.

Possuem previsões de crescimento para esta área de negócio a curto/médio prazo?

N.P. – Sim, foi definido um business plan que prevê um crescimento sustentado e continuado ao longo dos próximo três anos, prevemos triplicar o volume de negócios nesse período. Obviamente que neste primeiro ano de atividade sofremos o impacto de lançarmos esta área em pleno contexto de pandemia e de crise. O facto de não termos recuado na estratégia e mesmo neste contexto, e o facto de estarmos a anunciar esta nova área de negócio é sintomático da convicção que temos sobre o sucesso desta nova área de negócio. Sabemos que é uma oferta relevante para o mercado e que a expertise, competência e credibilidade da Noesis será diferenciadora. Por isso, apesar do contexto, mantivemos a intenção de lançar este novo negócio e mantemos também as perspetivas de negócio e o objetivo definido para 2020.

Quais os objetivos que se propõem a alcançar com esta nova área em Portugal?

N.P. – Queremos ser um player de referência nestes serviços e contribuir para que os nossos clientes possam beneficiar das vantagens destas tecnologias. Por isso elegemos a TIBCO como parceiro, que é, provavelmente, a principal referência a nível mundial em soluções de EAI, estando posicionada como líder quer no quadrante mágico da Gartner como também no The Forrester Wave. Queremos que as organizações possam tirar proveito deste potencial de integração de sistemas, com uma tecnologia robusta e de elevada fiabilidade e beneficiando de toda a expertise da Noesis e da visão transversal e oferta complementar.

Qual o perfil das empresas clientes?

N.P. – Este tipo de soluções e a tecnologia TIBCO são destinadas essencialmente ao mercado das grandes empresas. Estamos a falar de grandes organizações, as maiores empresas em Portugal, muitas delas já nossas clientes e que apostaram na tecnologia. Nesses casos, que já estão identificados, será uma associação natural, os clientes poderão continuar a tirar partido desta tecnologia e contar com o apoio especializado de um parceiro de confiança e com quem já trabalham. Obviamente que pretendemos também abrir novo mercado e desenvolver novo negócio e os nossos esforços estarão especialmente concentrados no segmento das grandes empresas, de forma transversal e não concentrado num sector de atividade específico.

Primeiras iniciativas no mercado espanhol

Que projetos vos aparecem como mais aliciantes nesta área de integração?

N.P. – Existem vários projetos interessantes nesta área, que passam, por exemplo, por projetos que envolvam real-time processing com alta disponibilidade, no sector da banca,
Projetos que envolvam IoT, mais uma vez real-time processing, em sectores como transportes e logística, projetos na área da distribuição que envolvem transmissão de milhares de dados e integração entre diferentes sistemas, em resumo, projetos que necessitem de performance, robustez e escalabilidade em comunicações entre diferentes dispositivos e sistemas.

Será também uma área a explorar internacionalmente? Em que medida?

N.P. – Sim, a médio prazo. Nesta fase procurámos lançar esta área no mercado Português, que é o nosso mercado principal. Queremos solidificar a parceria com a TIBCO, conquistar novos clientes e novas referências e tornarmo-nos um player de referência também nesta área de negócio. A internacionalização faz parte do ADN da Noesis e continuamos a seguir o nosso plano estratégico definido já há alguns anos e que aponta para que o negócio internacional atinja um peso de 50% do nosso volume de negócios total, a medio-prazo. Para atingirmos esse objetivo temos vindo a internacionalizar algumas das nossas áreas de negócio e a área de Enterprise Application Integration passou a estar incluída nesse roadmap. Já este ano teremos as primeiras iniciativas no mercado Espanhol, onde a recente integração da Noesis no grupo espanhol Altia nos permite encarar esse mercado alavancados pela força da marca Altia e também no mercado holandês, que é um dos mercados onde a Noesis está presente.

Equipa em crescimento

Dizem que a TIBCO «é, sem dúvida, das empresas que melhor responde aos desafios da transformação digital». O que diferencia a abordagem deste parceiro e que o torna o parceiro ideal?

N.P. – A TIBCO é o nosso parceiro de eleição para esta área de negócio e essa escolha centrou-se essencialmente na avaliação técnica que fazemos da tecnologia. A TIBCO é, indiscutivelmente, uma das soluções mais robustas, se não a mais robusta, neste segmento. Habitualmente refiro que a TIBCO é um Rolls Royce, se pensarmos na sua robustez, fiabilidade, velocidade, segurança, é praticamente imbatível! Falamos de soluções que permitem integração com todo o tipo de ferramentas, aplicações e entre quaisquer plataformas – cloud pública, cloud privada, on-prem, dispositivos ou ambientes híbridos. Oferece diferentes métodos de integração e recurso a diferentes abordagens como DevOps ou microserviços, para além da abordagem API-Led e event-driven que torna toda esta integração entre aplicações muito mais ágil e fluída. Também o facto de ser uma plataforma compatível com fontes e padrões open source e uma plataforma de low-code são também fatores de diferenciação e que nos levaram a apostar nesta parceria e nesta tecnologia.    

A equipa foi reforçada com Gentil Paganella. Houve lugar a mais contratações para esta área?

N.P. – Sim. Para além do Gentil, já estamos a constituir equipa e já temos cerca de 10 consultores a trabalhar em projetos e clientes que, entretanto, já conquistámos. O plano passa por fazer crescer a equipa por forma a alavancar o negócio e garantir condições e capacidade de entrega em linha com o business plan definido para esta área. Está prevista a incorporação de novos colaboradores a curto prazo e também nos próximos anos e esperamos atingir uma equipa próxima dos 40 elementos ao final de três anos. Estamos muito entusiasmados com a incorporação do Gentil Paganella e com o rumo e resultados que já estamos a conseguir atingir com esta nova área.

*Artigo publicado em Ntech.news