Câmara
Noesis nos Media
24 abril 2020

Workplace Solutions: entre a importância e a necessidade, in IT Channel


Noesis nos Media
24 abril 2020

O local de trabalho está em constante evolução e a pandemia do COVID-19 veio acelerar este tipo de alterações. Atualmente, já são poucas as organizações que não praticam algum tipo de trabalho remoto.

A pandemia do COVID-19, ou do novo Coronavírus, fez com que as organizações de todo o mundo se adaptassem a uma nova realidade. Em Portugal, o teletrabalho passou a ser obrigatório para todos os colaboradores que não necessitam de estar fisicamente no seu posto de trabalho tradicional e as organizações tiveram que se adaptar, quase sem aviso prévio, a uma realidade em prol do bem-estar de todos.

Adoção de soluções 

As empresas nacionais tiveram, de um momento para o outro, que se adaptar a uma nova realidade. 

Muitas nunca tinham implementado um método de trabalho remoto, enquanto outras já contavam com colaboradores que trabalhavam a partir de casa. Verdade que poucas, ou nenhumas, alguma vez tiveram a totalidade dos seus empregados a trabalhar de forma remota. 

Neste sentido, as organizações tiveram que procurar e utilizar soluções de colaboração, de videoconferência, ou mesmo dispositivos que permitissem aos colaboradores desempenharem as suas funções, ao mesmo tempo que necessitam de estar em contacto com os seus colegas. 

Ricardo Magalhães, Enterprise Solutions Senior Manager na Noesis, salienta que “há claramente uma diferença de realidade entre quem já investiu e adotou este tipo de soluções e quem ainda não têm esse grau de maturidade ou sequer soluções”. Simultaneamente, há “uma alteração das prioridades das organizações”. “O que vemos é que há projetos em implementação que entraram em pausa para existir aqui um shift – que acaba por ser natural – para esta urgência que é dar resposta aos colaboradores para continuarem a poder trabalhar. Esta é uma realidade que vemos a nível nacional e internacional”, explica.

Cibersegurança 

A adoção de soluções de trabalho remoto levanta sempre questões de cibersegurança. O facto de existirem colaboradores a utilizarem as plataformas cruciais para a organização fora do espaço físico da empresa aumenta a superfície de risco. 

No caso da pandemia do COVID-19, estas soluções tiveram, em muitos casos, de ser adotadas à pressa, aumentando ainda mais o risco de uma organização sofrer um ciberataque que coloque em causa todas as atividades da empresa.

Futuro 

Apesar de ainda não se saber quando é que esta situação vai terminar e de como é que o mundo vai estar depois disto, uma coisa é certa: a maneira de trabalhar estará para sempre alterada. 

Pegando na realidade da Noesis, Ricardo Magalhães refere que há dois cenários distintos, onde existe uma vertente de equipas que trabalham internamente e outras que trabalham em clientes, que estão diretamente dependentes das soluções que os clientes providenciam para dar continuidade ao seu trabalho. As equipas internas tiveram um impacto muito pequeno. 
“Já trabalhávamos deste modo, remotamente, com soluções cloud. Acontecendo esta situação, apenas nos deslocamos fisicamente; digitalmente estamos a funcionar da mesma maneira”, diz.

Antecipando o futuro, o COVID-19 vai obrigar as empresas a olhar com atenção para este tema do trabalho remoto, que pode levar ao paradigma de que “se é possível que este modo de trabalhar seja viável, então vou colocar os meus colaboradores a trabalhar de outra maneira”, como um regime híbrido, por exemplo.

Oportunidades para os Parceiros 

Apesar de, por esta altura, muitas organizações já terem adotado as soluções necessárias para manter a sua operação a funcionar, continuam a existir oportunidades para os Parceiros nesta área de Workplace Solutions.

*Artigo completo em IT Channel.

Homem a esquiar

Veja como podemos fazer o seu negócio Grow Faster.

CONTACTE-NOS