Luzes e Tecnologia
Noesis nos Media
08 setembro 2020

Reduzir custos e agilizar processos com EAI, in Executive Digest


Noesis nos Media
08 setembro 2020

A Noesis apresenta uma nova área de negócio capaz de oferecer às grandes empresas uma maior agilidade e capacidade operacional, consolidando desta forma a sua oferta transversal e end-to-end.

O desejo de continuar a responder às necessidades dos seus clientes e do mercado está na origem do lançamento da nova área de atividade da Noesis. A área de Enterprise Aplication Integration (EAI) surge num contexto de rápido crescimento que a transformação digital está a registar nos ecossistemas de IT das organizações.

Um dos principais desafios desta aceleração e expansão tecnológica está relacionado com a necessidade das organizações adotarem tecnologias, aplicações e sistemas distribuídos que, infelizmente, muitas das vezes acabam por não estar ligados entre si.

Atualmente as grandes empresas são compostas por diversos sistemas e aplicações cloud (ou on-premise) que necessitam de uma progressiva maior integração de forma a produzirem melhores resultados. O cruzamento de dados e informação é agora mais do que nunca vital na tomada de decisões, pelo que a área de Enterprise Aplication Integration (EAI) se tem tornado cada vez mais relevante e útil não só para obter uma maior integração como para gerir e otimizar os custos associados às várias aplicações e sistemas.

Uma só plataforma para gerir e conectar todas as aplicações cloud ou on-premise, serviços, dispositivos IoT ou conjuntos de dados, é esta a solução apresentada agora pela consultora tecnológica Noesis, em parceria com a TIBCO Software.

Os principais benefícios associados à utilização de uma única plataforma aberta estão relacionados com uma maior agilidade e flexibilidade de processos dentro de uma organização, assim como a uma maior capacidade de explorar e identificar importantes insights que possam optimizar a execução a qualquer nível de gestão.

Gentil Paganella assume a liderança desta nova área de atividade da Noesis, tendo como principal objetivo impulsionar toda a estratégia de crescimento da Entreprise Aplication Integration nos próximos anos.

A Noesis anunciou a criação de uma nova área de negócio de Enterprise Application Integration na qual a tecnologia TIBCO Software é importante. Quais os principais objectivos desta área de negócio?

Gentil Paganella – Queremos ser um player de referência nestes serviços e contribuir para que os nossos clientes possam beneficiar das vantagens destas tecnologias. Por isso elegemos a TIBCO como parceiro, que é, provavelmente, a principal referência a nível mundial em soluções de EAI, estando posicionada como líder quer no quadrante mágico da Gartner como também no The Forrester Wave. Queremos que as organizações possam tirar proveito deste potencial de integração de sistemas, com uma tecnologia robusta e de elevada fiabilidade e beneficiando de toda a expertise da Noesis e da visão transversal e oferta complementar.

Como é que esta nova área de negócio pode ajudar o crescimento das organizações? Torná-las mais eficientes? Mais ágeis?

G.P – Simples, atualmente as empresas têm sistemas, infraestruturas e aplicações, cada vez mais complexos e que são essenciais para o seu negócio. Muitas destas aplicações e sistemas não comunicam entre si, o que levanta enormes dificuldades às empresas e aos seus departamentos de IT para responder às necessidades crescentes do negócio e a um mercado e contexto em constante e rápida mutação. De uma forma simples, o que Enterprise Application Integration permite é precisamente facilitar essa integração e comunicação entre sistemas. Com esta nova área pretendemos apoiar as organizações nesse processo, criar a infraestrutura necessária, definir que informações devem ser integradas com fontes externas e como integrar essas informações de forma segura e robusta. E para as organizações já trabalham de forma integrada podemos apoiar com toda a nossa expertise, por exemplo, na migrar de uma solução obsoleta ou sugerir e implementar melhorias.

Esta nova área de negócio é dirigida a todo o tipo de organizações, desde as PME às Grandes Empresas?

G.P – Este tipo de soluções e a tecnologia TIBCO são destinadas essencialmente ao mercado das grandes empresas. Estamos a falar de grandes organizações, as maiores empresas em Portugal, com grandes quantidades de dados e sistemas complexos e muito críticos na sua atividade. Muitas destas organizações já apostaram na tecnologia TIBCO, por ser a principal referência tecnológica nesta área. Nesses casos, que já estão identificados, será uma associação natural, os clientes poderão continuar a tirar partido desta tecnologia e contar com o apoio especializado de um parceiro de confiança e com quem já trabalham. Obviamente que pretendemos também abrir novo mercado e desenvolver novos negócios e os nossos esforços estarão especialmente concentrados no segmento das grandes empresas.

A nova área de negócio pode ser adaptada a todo o tipo de companhias, sejam elas do Retalho, Telecomunicações ou Energia?

G.P – Sim, esta área responde aos desafios que qualquer grande organização enfrenta com o crescimento dos seus sistemas informáticos e com os processos de transformação digital que têm vindo a implementar, independentemente do seu sector de atividade. Quer a TIBCO, quer a Noesis têm diferentes use cases e histórias de sucesso, nos mais variados sectores de atividade, da Industria ao Retalho, passando pelos transportes e logística, Telecomunicações, Energia, ou Saúde.

A internacionalização desta nova área de negócio está nos vossos planos?

G.P – Sim, a médio prazo. Nesta fase procurámos lançar esta área no mercado Português, que é o nosso mercado principal. Queremos solidificar a parceria com a TIBCO, conquistar novos clientes e novas referências e tornarmo-nos um player de referência também nesta área de negócio. A internacionalização faz parte do ADN da Noesis e continuamos a seguir o nosso plano estratégico definido já há alguns anos e que aponta para que o negócio internacional atinja um peso de 50% do nosso volume de negócios total, a medio-prazo. Para atingirmos esse objetivo temos vindo a internacionalizar algumas das nossas áreas de negócio e a área de Enterprise Application Integration passou a estar incluída nesse roadmap. Já este ano teremos as primeiras iniciativas no mercado Espanhol, onde a recente integração da Noesis no grupo espanhol Altia nos permite encarar esse mercado alavancados pela força da marca Altia e também no mercado holandês, que é um dos mercados onde a Noesis está presente.

Como é que esperam contribuir para a transformação digital dos clientes e da sociedade?

G.P – A transformação está presente e é incontornável nas organizações, nos dias de hoje. A atual situação de Pandemia veio demonstrar isso mesmo, a necessidade de as organizações estarem cada vez mais digitalizadas, com processos otimizados, automatizados e capazes de se adaptar de forma ágil a novos contextos de mercado. Esse processo de transformação digital que as empresas têm experienciado traz consigo também novos desafios decorrentes da rápida evolução da tecnologia, sendo um dos principais, o tema, precisamente da integração entre sistemas.

Por que é que a TIBCO é o vosso parceiro de eleição para esta área de negócio?

G.P – A TIBCO é o nosso parceiro de eleição para esta área de negócio e essa escolha centrou-se essencialmente na avaliação técnica que fazemos da tecnologia. A TIBCO é, indiscutivelmente, uma das soluções mais robustas, se não a mais robusta, neste segmento. Aplicando uma metáfora automóvel, podemos afirmar que a TIBCO é um Rolls Royce, se pensarmos na sua robustez, fiabilidade, velocidade, segurança, é praticamente imbatível! Falamos de soluções que permitem integração com todo o tipo de ferramentas, aplicações e entre quaisquer plataformas – cloud pública, cloud privada, on-prem, dispositivos ou ambientes híbridos. Oferece diferentes métodos de integração e recurso a diferentes abordagens como DevOps ou microserviços, para além da abordagem API-Led e event-driven que torna toda esta integração entre aplicações muito mais ágil e fluída. Também o facto de ser uma plataforma compatível com fontes e padrões open source e uma plataforma de low-code são também fatores de diferenciação e que nos levaram a apostar nesta parceria e nesta tecnologia.

Na sua opinião, Gentil Paganella, quais são os principais desafios da transformação digital das empresas portuguesas?

G.P – As empresas em Portugal enfrentam alguns desafios fundamentais como a desmaterialização, organização e distribuição da informação. Por desmaterialização entenda-se não apenas a questão tecnológica, mas também cultural e humana, é necessário transformar processos muitas vezes manuais e físicos, em processos digitais e automatizados. A organização surge associada ao ponto anterior, garantindo-se a desmaterialização é necessário tratar a informação, são cada vez mais os dados que uma organização recolhe e que tem que tratar, de clientes, de consumo, de dispositivos conectados (IoTs), internos e externos, é necessário tratar toda essa informação, ligar diversas fontes de dados, e garantir fiabilidade da informação recolhida e armazenada. Por último, a dificuldade em distribuir essa informação de forma segura e integrada. No contexto atual, é fundamental que a informação flua de forma rápida, segura e eficaz. A informação é hoje, nas organizações, o seu principal e mais valioso ativo.

*Artigo publicado em Executive Digest